Wikipédia em sala de aula! Nos dias 14 e 21/02 estivemos em São Cristóvão, zona Norte do Rio de Janeiro, para conversar com os professores do Colégio Pedro II sobre ciência aberta e o uso de plataformas colaborativas em projetos pedagógicos. A ação foi fruto da parceria entre o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e nós, do Wiki Educação Brasil.

 

No dia 14/02, os docentes assistiram à palestra “Ciência aberta e colaborativa: diálogos com a educação”, ministrada por Sarita Albagli, pesquisadora e professora doutora do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação/IBICT-UFRJ, ao lado de Anne Clínio, pós-doutoranda da mesma instituição e membro do nosso grupo, onde discutiram o significado do termo ciência aberta e suas implicações no campo da educação.

 

“Ciência aberta é hoje um termo guarda-chuva, que engloba diferentes significados, tipos de práticas e iniciativas, incluindo desde a disponibilização gratuita dos resultados da pesquisa (acesso aberto), até a valorização e a participação direta de não cientistas e não especialistas no fazer ciência, tais como 'leigos' e 'amadores' (ciência cidadã). A definição utilizada pela Open Knowledge é bastante abrangente: ciência aberta significa muitas coisas, mas principalmente que o conhecimento científico deve ser livre para as pessoas usarem, reutilizarem e distribuírem sem restrições legais, tecnológicas ou sociais”, explica Albagli, uma das referências sobre o tema no Brasil.

 

Já no dia 21/02, Juliana Bastos Marques, professora doutora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e Hanna Halm, embaixadora de campus na UNIRIO pelo projeto Wikipédia na Universidade, ambas integrantes do grupo Wiki Educação Brasil, realizaram uma palestra interativa, demonstrando as potencialidades das plataformas wiki.

 

“Os ambientes wiki são ricos e têm projetos de diversos segmentos, 100% gratuitos. Além da Wikipédia, amplamente conhecida e consultada, temos, por exemplo, o Wikcionário [dicionário livre], WikiSource [biblioteca livre] e a Wikiversidade, que organiza grupos de estudo, fóruns e cursos, reunindo professores e alunos de qualquer parte do planeta”, salienta Rodrigo Padula, coordenador de projetos do Wiki Educação Brasil.

 

Apesar do termo ciência aberta ser incomum para quem não é cientista, seus instrumentos e iniciativas estão bem próximos do cotidiano do brasileiro, como o uso de software livre, o debate sobre propriedade intelectual, educação à distância e a famosa Wikipédia. Tendência mundial, a educação aberta é um movimento apoiado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e integra um dos pilares da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que destaca a instrução como um direito de todos.

 

Paulatinamente, ciência aberta e acesso à informação fazem parte da agenda de líderes de governo e instituições renomadas. Em 2012, a presidente Dilma Rousseff sancionou a chamada LAI (Lei de Acesso à Informação), que confere ao cidadão o direito de solicitar qualquer informação, incluindo dados brutos, a órgãos públicos e entidades privadas sem fins lucrativos. No dia 28 de setembro de 2016 foi comemorado, pela primeira vez, o Dia Internacional do Acesso Universal à Informação, criado pela UNESCO, para fomentar não só o acesso ao conhecimento, como maior transparência na prática científica e nas instituições governamentais.

 

Leave a comment